Por Renata Leal

Neste início de agosto, a Caixa anunciou as datas para a nova rodada de saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, nosso famoso FGTS. A novidade é que agora será possível sacar também das contas ativas (a conta em que o seu empregador atual deposita um valor mensalmente, caso você trabalhe no regime CLT). O objetivo do governo é injetar dinheiro na economia, dando aquele gás no consumo durante o segundo semestre.

Para quem tem conta na Caixa (pode ser poupança), os saques começam em 13 de setembro. Para quem não tem, só em 18 de outubro. As datas variam de acordo com o mês de aniversário. Será possível sacar até R$ 500 de cada conta ativa ou inativa.

Se você tem dinheiro a receber (e até eu tenho um restinho de conta inativa me esperando!), aqui vão três destinos para o valor do seu saque:

1.) Pagar dívidas

Não tem muito jeito. Se você está na turma das endividadas, use esse dinheiro do FGTS para saldar, ou pelo menos para reduzir, suas dívidas. Comece pagando pelas contas atrasadas que comprometem seu patrimônio (como financiamento imobiliário ou de veículo, por exemplo) e salde com urgência dívidas de cartão de crédito e cheque especial, que crescem em alta velocidade, com taxas de juros exorbitantes.

2.) Fazer ou aumentar sua reserva de emergência

Se você ainda não tem uma reserva de emergência, essa é a hora de começar. A reserva é composta pelo valor equivalente a três salários e serve para um socorro em dívidas não programadas – algo de saúde, uma batida no carro, um gasto inesperado na escola das crianças, etc. Se você já tem um pouco de reserva, mas ainda não conseguiu juntar o equivalente a pelo menos três meses, aproveite esse valor do FGTS para complementar sua reserva. Nesse caso, você pode usar o Tesouro Selic ou um fundo de investimento de alta liquidez para guardar o dinheiro.

3.) Investir

Para quem está no grupo das finanças em ordem, investir é o melhor destino para o seu saque do FGTS. Para conservadoras, Tesouro Selic se for preciso manter alta liquidez (um dinheiro que você pode sacar rápido), Tesouro prefixado ou IPCA para longo prazo. Se você tem um perfil mais moderado, não deixe de olhar fundos de investimento, especialmente os de renda fixa atrelados a juros reais e os multimercados. Se você suporta mais risco e não precisa de tanta liquidez, a bolsa de valores deve continuar subindo. Portanto, ações, fundos de ações e fundos multimercados mais arriscados podem aumentar a rentabilidade da sua carteira de investimentos, multiplicando os baixos resultados do CDI. Calibre seus investimentos de acordo com os seus sonhos, destinando um volume de recursos para cada um.

Leia mais:

A árvore do seu dinheiro

Mulheres e jovens preferem o Tesouro Direto à Bolsa de Valores

Não sei por onde começar a guardar dinheiro

“Investir não é para mim. Investir é para os ricos”

Como começar a investir

Como organizar seu orçamento: a regra do 50-30-20

Quanto custam os seus sonhos?

Educação financeira começa na infância – para meninas e meninos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *