Por Renata Leal

Em novembro eu tenho três casamentos, em três semanas seguidas. Dois são da mesma família. Então, haja vestido de festa para usar sem repetir, não? Em situações assim, é bem comum pedirmos um vestido emprestado a uma amiga ou mesmo alugarmos um (ou mais de um). Tenho alguns vestidos para essas ocasiões de eventos mais finos, festas, casamentos – e já emprestei alguns para amigas quando elas precisam também. Tenho a sensação de que nós, mulheres, temos o hábito de emprestar mais coisas para amigas e familiares. Sinto mais isso em mulheres do que em homens, pois é mais do comportamento feminino fazer isso, com a ideia de pensar no bem comum.

Mas, você empresta sua escova de dentes? Ou outras coisas muito pessoais? Talvez aqui você, assim como eu, diga que não, certo? Mas, e o seu cartão de crédito? E dinheiro? Talvez aqui você diga que depende… E provavelmente depende mesmo. Mas esse empréstimo de dinheiro – e principalmente de cartão de crédito – guarda riscos que podem se tornar grandes. Que levante a mão quem não conhece um caso de empréstimo de dinheiro ou cartão para familiares e amigos que não acabou mal, no mínimo com quem emprestou tomando prejuízo… Todo mundo conhece um caso assim, quando você mesma não é a protagonista do caso, né?

Em tempos de economia complicada, com milhões de pessoas desempregadas, em empregos informais ou empreendendo micronegócios para gerar alguma renda, o cerco vai apertando para pagar até mesmo as despesas corriqueiras. E nossa falta de educação financeira bate forte nesses momentos assim.

Se você for se endividar para pagar a dívida de outra pessoa, diga não, por mais que isso seja difícil. Se a pessoa já tiver um histórico de dívidas, mais cuidado ainda. Saldar uma dívida da sua filha, da sua irmã ou da sua mãe poderá ser apenas um tratamento paliativo e não a resolução de um problema profundo de não saber lidar com o dinheiro.

Se você tiver dinheiro sobrando e decidir emprestar dinheiro ou pagar no seu cartão de crédito uma compra ou um serviço para outra pessoa, estabeleça a partir de quando e em quantas vezes você receberá o dinheiro de volta. Não é fácil fazer isso, especialmente quando quem está pedindo o dinheiro emprestado é um familiar próximo ou sua melhor amiga. Tenha em mente que esse poderá ser um volume de dinheiro perdido ou que você pode receber só em um prazo longo.

Esta semana temos workshop online Investimentos: como dar os primeiros passos, com uma aula sobre como abrir sua conta em uma corretora, como transferir dinheiro para lá e começar a investir, com um básico sobre os principais produtos de investimentos. Será na quinta-feira, 5 de setembro, às 19h30. Os ingressos custam R$ 25 e podem ser comprados neste link.

Leia mais:

Por que é importante ter uma reserva de emergência

Meus primeiros passos com ações

3 destinos para o saque do seu FGTS

A árvore do seu dinheiro

Mulheres e jovens preferem o Tesouro Direto à Bolsa de Valores

Não sei por onde começar a guardar dinheiro

“Investir não é para mim. Investir é para os ricos”

Como começar a investir

Como organizar seu orçamento: a regra do 50-30-20

Quanto custam os seus sonhos?

Educação financeira começa na infância – para meninas e meninos

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *