Por Renata Leal

De tempos em tempos, eu abro no Instagram (@renataleal21) a opção de as pessoas me mandarem perguntas sobre investimentos e finanças pessoais. Uma das indagações que recebi esses dias foi “Como multiplicar 0 reais?”. Você também está no time dos que não conseguem guardar nada? Em uma coluna anterior, comentei que 56% dos brasileiros não têm qualquer dinheiro guardado. Nada de reserva de emergência nem para a previdência no futuro.

Começar a guardar dinheiro envolve organização do orçamento. Se está sobrando mês e faltando grana, as alternativas são cortar despesas ou aumentar as entradas. Antes de começar a cortar, liste tudo que você gasta durante pelo menos uma semana. Aplicativos de celular tornam essa tarefa menos chata e mais eficiente. É preciso identificar por onde o dinheiro está escorrendo sem que você perceba. Provavelmente ainda há algum item no seu orçamento que pode ser reduzido ou cortado mesmo. Busque mais opções gratuitas, corte alguns confortos por um tempo…

Se você já chegou ao limite dos cortes e ainda está faltando, avalie o que você pode fazer para aumentar suas receitas. Há opções de vender produtos, executar serviços nas suas horas livres, etc. O importante é aumentar o dinheiro que entra e organizar bem as finanças para não entrar (ou empurrar) suas dívidas.

Mas, então, como guardar dinheiro? Você pode começar com pouco. Todo dinheiro é dinheiro! R$ 10? R$ 20? R$ 100? Mas guarde assim que receber o seu salário, pró-labore ou qualquer outra renda. Se você guardar logo, vai evitar gastar com algo que não necessariamente era essencial. E, assim que for possível, aumente o volume guardado.

Outra dica importante é criar uma regularidade. Se você tira um valor mensal do seu salário para guardar, programe um investimento com esse dinheiro. Você pode comprar frações de títulos públicos a partir de R$ 35. Pode fazer isso por alguns bancos ou usar as vantagens de uma conta digital para transferir esse valor para uma corretora sem gastar com tarifas bancárias. Ou, ainda, pode três meses na poupança mesmo e passar para outro investimento em um bloco, para comprar uma fração maior de um Tesouro Selic, que custa cerca de R$ 100, por exemplo.

Prestar atenção a promoções também ajuda a gastar menos e a guardar mais dinheiro. Você tem um mercado perto de casa que é supercômodo, mas que cobra bem mais que aquele hipermercado ou atacarejo mais longe. Que tal se organizar para comprar de forma mais racional? Que tal aproveitar boas promoções para comprar aqueles presentinhos curingas que a gente sempre precisa dar em algum aniversário? Feiras de livros e promoções de produtos de beleza são excelentes para isso. Planejamento é essencial para buscar alternativas.

Também vale ter atenção a oportunidades como ingressos com desconto ou troca de produtos por ingressos de teatro, musicais. Algumas organizações não-governamentais recebem ingressos de contrapartida de incentivos fiscais de empresas para trocar por produtos para a ONG. Assim, você vai a um espetáculo gastando menos que o ingresso normal e ainda compra um produto para ajudar outras pessoas.

Dar os primeiros passos para guardar dinheiro pode exigir algum sacrifício, mas sem dúvida vale a pena.

Leia mais:

“Investir não é para mim. Investir é para os ricos”

Como começar a investir

Como organizar seu orçamento: a regra do 50-30-20

Quanto custam os seus sonhos?

Educação financeira começa na infância – para meninas e meninos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *